terça-feira, 17 de novembro de 2009

pensamento

"Das situações e das circunstâncias da existência. Retoma a verdadeira natureza que é ser global e permanente, e ultrapasse os limites das instituições, dos programas e dos métodos que lhe impuseram ao longo dos séculos" E.Faure, 1974

longe do seu ninho meu andar caminho

http://www.youtube.com/watch?v=yAE9cE-RCQI

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

harmonia oculta

... quando pela primeira vez você se apaixona, encontra o oposto. Imediatamente, é como se você tivesse criado asas, você pode voar; a poesia brota em seu coração. O que está contecendo? O oposto criou alguma coisa em você. Só o silêncio não é bel, só o som não é tão belo, mas o encontro do som com o silêncio é muito, muito belo - é música. O encontro do som com o silêncio é música... pg 178 a harmonia oculta - osho.

domingo, 1 de novembro de 2009

do blog ikensan

Por que?

Numa roda de Kensan
O exame e a pesquisa feita com a pergunta:
"- Porque ... ?"

exemplos:
- por que tem (tenho) raiva?
- por que me sinto sozinho?
- por que me enrosco com ele ?
- por que ... ?

Tem gente que responde:
- para os outros, se explicando, se justificando
- debatendo, para ganhar a discussão
- explanando com conhecimentos adquiridos
- com experiencias do passado
- se desculpando, com arrependimento
- fazendo analises, tentando descobrir as causas
- na defensiva e contra-atacando
- qualquer coisa não sabendo do que se trata

Mas
Antes de pensar isso ou aquilo
Com seus conhecimentos e experiencias
Antes de achar que já tem as respostas

Perguntar a si mesmo
E através do retorno que vem dentro de si
Conhecer a si mesmo de agora, deste momento

É o começo...
Do mais necessário reconhecimento de si mesmo

sentimentos

Sentimentos são
fáceis de mudar
Mesmo entre quem
Não ve que alguém
pode ser seu par
Basta um olhar
Que o outro não espera
Para assustar e até perturbar
Mesmo a Bela e a Fera
Sentimento assim
Sempre é uma surpresa
Quando ele vem nada o detêm
É uma chama acesa
Sentimentos vem para nos trazer
Novas sensações
Doces emoções
e um novo prazer
E uma estação como a primavera
Sentimentos são como
Uma canção para a Bela e a Fera
(Recebi sem autor)

ame

"Ame o seu próximo
mas não se sinta obrigado a amar.
Ao contrário,
deixe que o amor seja como o mar,
movendo-se entre as praias da sua alma."
Kahlil Gibran

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

ninguém é nada

ninguém é pai, mãe, filho, vô e vó... etc
todo mundo está no mesmo barco, fazemos parte de um processo, tal qual todas as criaturas vivas da natureza, que mania é essa de classificar as coisas e os relacionamentos? isso é coisa de bicho homem. o mundo é perfeito, como a criatura pode ensinar a criação? primeiro sou, depois penso. essa ótica: existo logo penso, aproveite a provocação. abs.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

something

video

o sol é novo a cada dia

... o sol é novo a cada dia, a fome é nova a cada dia, o amor é novo a cada dia, a vida é nova a cada dia... heráclito
E COMO VOCÊ PODE CONHECER UMA PESSOA?
Uma pessoa é livre. Muda a cada momento. Se você não pode pisar duas vezes num mesmo rio, como pode encontrar a mesma pessoa novamente? Se até mesmo os rios são tão mutáveis, a consciência, a corrente da consciência, não pode envelhecer. Se você puser a mente de lado, se não olhar com velhos olhos, então a sua esposa será nova. Cada gesto será novo. Há então uma excitação constante e contínua em sua vida, uma contínua vivacidade.
Hoje você sentirá fome - essa fome é nova. E hoje novamente, quando vc comer, essa comida será nova - porque nada pode ficar velho na existência. A existência não tem passado. O passado faz parte da mente. A existência está sempre no presente, é nova, fresca, sempre se movendo, uma força dinâmica, um movimento dialético, é como o fluxo de um rio.
Se vc conseguir perceber isso, então nunca ficará entediado. E o tédio é o maior mal - mata profundamente, é um veneno lento. Aos poucos vc vai ficando tão entediado que se torna um peso morto para si mesmo. então toda a poesia desaparece. nenhuma flor desabrocha e nenhum pássaro canta. vc já está enterrado, já está sob o seu túmulo.
(OSHO - A Harmonia Oculta)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

vazio

"SOMOS ASSIM. SONHAMOS O VÔO, MAS TEMEMOS AS ALTURAS. PARA VOAR, É PRECISO TER CORAGEM PARA ENFRENTAR O TERROR DO VAZIO. PORQUE É NO VAZIO QUE O VÔO ACONTECE.
O VAZIO É O ESPAÇO DA LIBERDADE, A AUSÊNCIA DE CERTEZAS.
MAS É ISSO QUE TEMEMOS: O NÃO TER CERTEZAS. POR ISSO TROCAMOS O VÔO POR GAIOLAS. AS GAIOLAS SÃO O LUGAR ONDE A CERTEZA MORA."
RUBEM ALVES

terça-feira, 6 de outubro de 2009

rumi

"Eu estava batendo na porta
e não sabia que estava do lado de dentro.
Só quando a porta se abriu descobri que
eu já estava dentro"

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

RACIONALISMO X COMPREENSÃO

Racionalismo X Compreensão

Tudo começou com a filosofia grega 400 anos antes de cristo, na era pré-socrática nos vimos o nascimento de homens que andavam de túnica e questionavam tudo que existia a sua volta. Com as poucas respostas que tinham conseguiam fazer deduções para que pudesse ser explicado todo o universo.

A ciência nasce no mesmo tempo que esse racionalismo ocidental. Onde antes existia uma compreensão pura e indiferente nasce uma imensa vontade de aprender e explicar tudo sobre a natureza do mundo e do homem.

Parmênides (c. 530-460 a.C.) implicava com as mudanças da matéria, já que tudo que existe sempre existiu a mudança que ele percebia pelos sentidos não seriam reais. Assim se viu forçado a escolher entre sentido ou razão, e escolheu a razão. Ai nasce o racionalismo, crença na razão como fonte primária de nosso conhecimento do mundo.

Demócrito de Abdera (c. 460 a.C. - 370 a.C.) tentou resolver o dilema da mudança da matéria com a teoria de que tudo seria feito de um mesmo matéria infinitamente pequeno e indivisível. Essa partícula ele chamou de átomo.

Ainda mais curioso que todos os anteriores foi Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C.), que acabou por desenvolver a ética, política, física, metafísica, lógica, psicologia, poesia, retórica, zoologia, biologia, história natural. Podemos dizer que ele foi o pai da filosofia ocidental, e portanto o criador original da ciência ocidental.

Enquanto isso os orientais permaneciam estudando o desapego, a contemplação, a não-ação, os fluxos inexoráveis da natureza a qual eles poderiam entrar sem que precisasse questionar sua veracidade. Embora exista várias correntes filosóficas que se distinguem em métodos e práticas, a base de todas elas é bem parecida, tendo como principal características:

O desapego: “aquilo que tu possui acaba por te possuir”, não existe possibilidade de atingir uma consciência pura de si quando você está preocupado com algo externo a você. Qualquer coisa que você coloca como seu será um fruto de sua preocupação, portanto não deve existir um “ter” ou um “meu”, tudo que é necessário já está dentro de nós.

A não-ação: Enquanto temos uma idéia muito forte sobre a necessidade de agir para conseguir uma evolução, o principio da não-ação diz que isso seria uma forma de desperdiçar energia, pois vai de encontro as leis naturais fundamentais. Com uma mente calma percebemos o fluxo natural dos acontecimentos, e em vez de tentar modificar esse curso simplesmente nos jogamos nele para assim agir de acordo com a natureza.

A virtude: A busca pelo entendimento da natureza e de si, partindo do desapego e da não-ação cria a virtude verdadeira do homem sábio. Despindo-se de todos os vícios, defeitos e medos finalmente é possível ter um contato com sua verdadeira essência.

rafael henrique martins
http://www.revistacapitu.com/colunas_rafael4.html

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

do blog ikensan

o aparente e o que está por trás
"a gente vê os resultados "visíveis" e fica "down/up"
sendo levado ao léu pelo que é aparente
mas o que importa mesmo
é o que acontece no não visível
e a gente vai treinando os olhos
para enxergar o que tá por trás
principalmente das minhas reações e ações
para deixar de ser refém
dessas coisas que estão no porão"

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

DeUs

A respeito da existência de Deus...

“... Os pensadores continuam negando Deus porque não O conhecem. Quando alguém diz: “Deus não existe”, não está sendo contra Deus. Está apenas demonstrando que é uma pessoa que pensa; nada mais. Não está contra Deus, porque para estar contra Deus é preciso conhecê-lo. Ninguém está contra; aquele que O conhece não pode estar contra Ele. Como alguém que conheceu a Deus pode estar contra Ele? É impossível. Dizer que Deus não existe demonstra apenas que a pessoa não o conhece, que tem apenas pensado sobre Ele. E pelo pensar é impossível conceber o desconhecido. Assim, o pensador O nega.
Não comece por Deus. É um falso começo. Conduz sempre ao absurdo. Toda metafísica é absurda. Você continua pensando sobre coisas a respeito das quais não se pode pensar. Continua fazendo afirmações sobre a existência, quando nenhuma afirmação pode ser feita. Só o silêncio pode afirmar algo sobre ela. Mas se você começar por si mesmo, alguma coisa científica poderá ser feita. Se começar por si mesmo, será um bom inicio.
Religião significa começar por si mesmo e metafísica significa começar por Deus. A metafísica é uma loucura – mas uma loucura com método, é claro. O louco é um metafísico sem método e o metafísico é um louco com método. Por causa da metodologia, o metafísico da a impressão de estar falando sensatamente – mas continua falando tanta insensatez!
Comece por si mesmo. Não pergunte se Deus existe; pergunte se você existe. Não pergunte se o amor e uma qualidade do divino; pergunte se o amor é uma qualidade sua, se você tem amado sempre. Não pergunte sobre a graça; pergunte se já sentiu gratidão. Porque isso está mais perto de você, está a um passo de você e é possível conhecer-se.
Comece sempre pelo inicio. Nunca pelo fim; do contrario, não haverá nenhum começo. Aquele que começa pelo inicio sempre chega ao fim, mas aquele que começa pelo fim, nem mesmo alcança o início. Começar pelo fim e impossível: a pessoa continua sempre em círculos.
Não permita que Deus seja uma noção metafísica; pelo contrario, sinta-O como uma experiência religiosa. Volte-se para dentro. Ele está sempre aí esperando por você. Mas é preciso fazer algo por si mesmo. Esse fazer é meditação, esse fazer é ioga.
Faca algo por si mesmo. Tal como é, você está fechado; tal como é, está morto. Tal como é, não pode estar em dialogo com o divino, com a existência. Assim, transforme a si mesmo: abra algumas portas; abra algum espaço, mesmo que seja à força; faça algumas janelas. Salte para fora de sua mente, de seu passado. Então, não apenas conhecerá o divino, mas o viverá. Viverá com a graça do divino, viverá com o amor do divino. Será parte dele. Será exatamente como uma onda dele. E só quando você se tornar uma onda dele, uma onda do divino, é que a autentica divindade estará presente. ...”
Livro: Eu Sou a Porta – o sentido da iniciação e do aprendizado. Bhagwan Sheree Rajneesh; Ed. Pensamento, 1975. Pgs 82 e 83.

domingo, 23 de agosto de 2009

Tao te ching

Cores cegam o olho, sons ensurdessem o ouvido. Sabores embotam o paladar. Pensamentos enfraquecem a mente. Desejos secam o coração.
O mestre observa o mundo, mas confia em sua visão interior. Ele permite que as coisas venham e vão. Seu coração é aberto como o céu.
Sê um nada e então será tudo.
Sê um nada e, tudo estará obtido.
Morre e te tornarás um Deus.
Desaparece e te tornará o Todo.
Aqui a gota desaparece e o ali o oceano passa a existir.
Não sou isso nem aquilo.
Sou um extenso vazio.
(LAO TZE)

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

H5N1, H1N1 E OUTRAS LOUCURAS MAIS

VEJA O FILME, ESTA HISTORIA JÁ CIRCULOU PELOS IDOS (ou ainda presente) 2006...

http://www.youtube.com/watch?v=0K2LdGUca9w

Esse mundo está dormindo, em dormindo, ao invés de sonhos, tem pesadelos.

só muda a tecnologia, os humanóides continuam, usam, manipulam, espreitam, pensam, pensam, pensam mas não fazem, não s e n t e m . . .

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

ISSO É AMOR

Isso é amor:
voar para um céu distante;
fazer uma centena de véus cair a cada instante.
primeiro, deixar a vida seguir seu curso.
e, finalmente, dar um passo sem os pés.
RUMI

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Heráclito

HERÁCLITO


A harmonia oculta
É superior à aparente.

A oposição traz, concórdia.
Da discórdia
Nasce a mais bela harmonia.

É na mudança
Que as coisas encontram repouso.

As pessoas não compreendem
Como o divergente
Consigo mesmo concorda.

Há uma harmonia de tensões contrárias
Assim como a do arco e da lira.

O nome do arco é vida,
Mas sua função é a morte.

HeRáClItO

domingo, 12 de julho de 2009

Encontro de Almas

Encontro de Almas

Vem.
Conversemos através da alma.
Revelemos o que é secreto aos olhos e ouvidos.

Sem exibir os dentes, sorri comigo, como um botão de rosa.
Entendamo-nos pelos pensamentos, sem língua, sem lábios.

Sem abrir a boca,
contemo-nos todos os segredos do mundo, como faria o intelecto divino.

Fujamos dos incrédulos
que só são capazes de entender
se escutam palavras e vêem rostos.

Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que todos somos um,
Falemos deste outro modo.

Como podes dizer a tua mão: - " Toca" ,
Se todas as mãos são uma?
Vem, conversemos assim.

Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo.

Vem, se te interessas, posso mostrar-te.

Rumi (Poemas Místicos)

domingo, 21 de junho de 2009

Pink Floyd - Wish You Were Here

">object width="425" height="344">

Coisas sobre o feminino e o masculino

... Sempre que você estiver num aperto, desses em que a sua lógica falha, não desespere, não fique desanimado. Esses momentos podem trazer as maiores bênçãos à sua vida. Esses são os momentos em que o esquerdo permite que o direito se manifeste. Então a parte feminina, a parte receptiva lhe dá uma idéia. Se você a seguir, muitas portas irão se abrir. Mas é possível que você perca a oportunidade; pode ser que você diga: “Que absurdo”. ...

Todo ofício é como agir de acordo com a parte feminina da mente – porque o feminino está ligado ao todo, e o masculino não está ligado ao todo. O masculino é agressivo, o masculino está constantemente em luta – o feminino está constantemente em rendição, numa confiança profunda.. Por isso o corpo feminino é tão belo, tão arredondado. Há uma confiança profunda e uma profunda harmonia com a natureza. A mulher vive em profunda rendição – o homem está constantemente em luta, irado, fazendo isso e aquilo, tentando provar alguma coisa, tentando alcançar alguma coisa. ...

A mulher está mais interessada no imediato, aqui e agora, e isso lhe dá uma harmonia, uma graça. O homem está constantemente tentando provar alguma coisa. E se você quiser provar é claro que você terá de lutar, competir e acumular.

O coração é feminino. Você perde muita coisa na sua vida porque a cabeça insiste em ter voz, ela não dá espaço ao coração. E a única qualidade da cabeça é que ela é mais articulada, ardilosa, perigosa, violenta. Por causa da violência dela, ela se tornou o líder interior, e essa liderança interior tornou-se uma liderança exterior entre os homens. Os homens dominaram as mulheres no mundo exterior também; a graça é dominada pela violência. ...

A mente masculina é um fenômeno encrenqueiro – assim que assume o poder, ela começa a dominar. Mas no fundo, embora você possa chegar ao poder, você perde a vida – e no fundo a mente feminina continua. A menos que você retorne ao feminino e se renda, a menos que a sua resistência e luta tornem-se rendição, você não vai conhecer a verdadeira vida e a sua celebração.

Intuição, O saber além da lógica - OSHO

Novo Ser Humano

Frase ...

" A liberdade vem quando você é capaz de ser
como é, e de permitir que os outros sejam como
eles são."

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Ponto "Z", peguei do blog da Wall



A fábula dos porcos assados

A Fábula dos Porcos Assados
O texto original deste trabalho, em espanhol, circulou entre os alunos do curso de pós-graduação da Universidade de Piracicaba em 1981. A sutileza com que o autor satiriza um dos problemas de nossos tempos fez com que imediatamente o texto chamasse a atenção de alunos e professores, convertendo-se em tema de conversas e debates. Aos leitores, a Fábula dos Porcos Assados:
Uma das possíveis variações de uma velha história sobre a origem do assado é a seguinte: Certa vez, aconteceu um incêndio num bosque onde havia alguns porcos, que foram assados pelo fogo. Os homens, acostumados a comer carne crua, experimentaram e acharam deliciosa a carne assada. A partir daí, toda vez que queriam comer porco assado, incendiavam um bosque... até que descobriram um novo método.
Mas o que quero contar é o que aconteceu quando tentaram mudar o SISTEMA para implantar um novo. Fazia tempo que as coisas não iam lá muito bem: às vezes os animais ficavam queimados demais ou parcialmente crus. O processo preocupava muito a todos, porque se o SISTEMA falhava, as perdas ocasionadas eram muito grandes - milhões eram os que se alimentavam de carne assada e também milhões os que se ocupavam com a tarefa de assá-los. Portanto, o SISTEMA simplesmente não podia falhar. Mas, curiosamente, quando mais crescia a escala do processo, tanto mais parecia falhar e tanto maiores eram as perdas causadas.
Em razão das inúmeras deficiências, aumentavam as queixas. Já era um clamor geral a necessidade de reformar profundamente o SISTEMA. Congressos, seminários, conferências passaram a ser realizados anualmente para buscar uma solução. Mas parece que não acertavam o melhoramento do mecanismo. Assim, no ano seguinte repetiam-se os congressos, seminários, conferências.
As causas do fracasso do SISTEMA, segundo os especialistas, eram atribuídas à indisciplina dos porcos, que não permaneciam onde deveriam, ou à inconstante natureza do fogo, tão difícil de controlar, ou ainda às árvores, excessivamente verdes, ou à umidade da terra, ou ao serviço de informações meteorológicas, que não acertava o lugar, o momento e a quantidade das chuvas...
As causas eram, como se vê, difíceis de determinar - na verdade, o sistema para assar porcos era muito complexo. Fora montada uma grande estrutura: maquinário diversificado; indivíduos dedicados exclusivamente a acender o fogo - incendiadores que eram também especializados (incediadores da Zona Norte, da Zona Oeste, etc., incendiadores noturnos e diurnos - com especialização e matutino e vespertino - incendiador de verão, de inverno, etc.). Havia especialista também em ventos - os anemotécnicos. Havia um Diretor Geral de Assamento e Alimentação Assada, um Diretor de Técnicas Ígneas (com seu Conselho Geral de Assessores), um Administrador Geral de Reflorestamento, uma Comissão de Treinamento Profissional em Porcologia, um Instituto Superior de Cultura e Técnicas Alimentícias (ISCUTA) e o Bureau Orientador de Reforma Igneooperativas.
Havia sido projetada e encontrava-se em plena atividade a formação de bosques e selvas, de acordo com as mais recentes técnicas de implantação - utilizando-se regiões de baixa umidade e onde os ventos não soprariam mais que três horas seguidas.
Eram milhões de pessoas trabalhando na preparação dos bosques, que logo seriam incendiados. Havia especialistas estrangeiros estudando a importação das melhores árvores e sementes, fogo mais potente, etc. Havia grandes instalações para manter os porcos antes do incêndio, além de mecanismos para deixá-los sair apenas no momento oportuno.
Foram formados professores especializados na construção dessas instalações. Pesquisadores trabalhavam para as universidades para que os professores especializados na construção das instalações para porcos; fundações apoiavam os pesquisadores que trabalhavam para as universidades que preparavam os professores especializados na construção das instalações para porcos, etc.
As soluções que os congressos sugeriam eram, por exemplo, aplicar triangularmente o fogo depois de atingida determinada velocidade do vento, soltar os porcos 15 minutos antes que o incêndio médio da floresta atingisse 47 graus, posicionar ventiladores-gigantes em direção oposta à do vento, de forma a direcionar o fogo, etc. Não é preciso dizer que os poucos especialistas estavam de acordo entre si, e que cada um embasava suas idéias em dados e pesquisas específicos.
Um dia, um incendiador categoria AB/SODM-VCH (ou seja, um acendedor de bosques especializado em sudoeste diurno, matutino, com bacharelado em verão chuvoso), chamado João Bom-Senso, resolveu dizer que o problema era muito fácil de ser resolvido - bastava, primeiramente, matar o porco escolhido, limpando e cortando adequadamente o animal, colocando-o então sobre uma armação metálica sobre brasas, até que o efeito do calor - e não as chamas - assasse a carne.
Tendo sido informado sobre as idéias do funcionário, o Diretor Geral de Assamento mandou chamá-lo ao seu gabinete, e depois de ouví-lo pacientemente, disse-lhe:
. Tudo o que o senhor disse está muito bem, mas não funciona na prática. O que o senhor faria, por exemplo, com os anemotécnicos, caso viéssemos a aplicar a sua teoria? Onde seria empregado todo o conhecimento dos acendedores de diversas especialidades?
. Não sei - disse João.
. E os especialistas em sementes? Em árvores importadas? E os desenhistas de instalações para porcos, com suas máquinas purificadores automáticas de ar?
. Não sei.
. E os anemotécnicos que levaram anos especializando-se no exterior, e cuja formação custou tanto dinheiro ao país? Vou mandá-los limpar porquinhos? E os conferencistas e estudiosos, que ano após ano têm trabalhado no Programa de Reforma e Melhoramentos? Que faço com eles, se a sua solução resolver tudo? Hein?
. Não sei - repetiu João encabulado.
. O senhor percebe agora que a sua idéia não vem ao encontro daquilo de que necessitamos? O senhor não vê, que , se tudo fosse tão simples, nossos especialistas já teriam encontrado a solução há muito tempo atrás? O senhor com certeza compreende que eu não posso simplesmente convocar os anemotécnicos e dizer-lhes que tudo se resume a utilizar brasinhas, sem chamas! O que o senhor espera que eu faça com os quilômetros e quilômetros de bosques já preparados, cujas árvores não dão frutos e nem têm folhas para dar sombra? Vamos, diga-me.
. Não sei, não senhor.
. Diga-me, nossos três engenheiros em Porcopirotecnia, o senhor não considera que sejam personalidades científicas do mais extraordinário valor?
. Sim, parece que sim.
. Pois então. O simples fato de possuirmos valiosos engenheiros em Porcopirotecnia indica que nosso sistema é muito bom. O que eu faria com indivíduos tão importantes para o país?
. Não sei.
. Viu? O senhor tem que trazer soluções para certos problemas específicos - por exemplo, como melhorar as anemotécnicas atualmente utilizadas, como obter mais rapidamente acendedores de Oeste (nossa maior carência), como construir instalações para porcos com mais de sete andares. Temos que melhorar o sistema, e não transformá-lo radicalmente, o senhor, entende? Ao senhor, falta-lhe sensatez!
. Realmente, eu estou perplexo! - respondeu João.
. Bem, agora que o senhor conhece as dimensões do problema, não saia dizendo por aí que pode resolver tudo. O problema é bem mais sério e complexo do que o senhor imagina. Agora, entre nós, devo recomendar-lhe que não insista nessa sua idéia - isso poderia trazer problemas para o senhor no seu cargo. Não por mim, o senhor entende. Eu falo isso para o seu próprio bem, porque eu o compreendo, entendo perfeitamente o seu posicionamento, mas o senhor sabe que pode encontrar outro superior menos compreensivo, não é mesmo?
João Bom-Senso, coitado, não falou mais um "A". Sem despedir-se, meio atordoado, meio assustado com a sua sensação de estar caminhando de cabeça para baixo, saiu de fininho e ninguém nunca mais o viu. Por isso é que até hoje se diz, quando há reuniões de Reforma e Melhoramentos, que falta o Bom-Senso.
(recebi este texto pela internet, não sei a origem...)

Pesquisar este blog

Quem sou eu

Minha foto
Um andante, um aprendiz, um ignorante, um passageiro, ou qualquer outra coisa, acho que isto não importa.

Seguidores